Pages

terça-feira, 20 de junho de 2017

Márcia Maia faz pronunciamento emocionante sobre a ex-governadora Wilma de Faria

                                       

A deputada Márcia Maia (PSDB) faz pronunciamento emocionado na sessão  plenária da Assembleia Legislativa, desta terça-feira (20), e fez uma homenagem póstuma  a sua mãe  Wilma de Faria. A parlamentar destacou a história política de quem, para ela, foi e será referência.
“A luz que irradiava era tamanha, que além da própria família e amigos, guiou os caminhos de um estado inteiro com coragem, paixão e amor”, disse a parlamentar, afirmando que com ela descobriu que “a política não é apenas representatividade, burocracia e votos, mas um verdadeiro instrumento de transformação social necessário a um mundo melhor e mais democrático”, disse Márcia, que fez um relato da vida pública da mãe, primeira deputada federal do RN, primeira prefeita de Natal, primeira governadora.
“Dentre as inúmeras obras e ações em nível estadual, cito a expansão da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), a Refinaria Clara Camarão, em Guamaré; a Ponte Newton Navarro, em Natal; a Ponte da Ilha de Santana, em Macau; a Ponte de Jucurutu; o Complexo Turístico Ilha de Santana, em Caicó; a Revitalização da Av. Rio Branco, a construção do Expocenter e a implantação do Curso de Medicina, em Mossoró”, lembrou a deputada, que destacou ainda o Programa de Segurança Alimentar com os Restaurantes Populares, a duplicação das Centrais do Cidadão, o Desenvolvimento Solidário, e ainda o salto dos índices socioeconômicos do Estado.

Missa de 7º dia de morte de Wilma de Faria será na quarta (21)


sexta-feira, 16 de junho de 2017

Ex-presidente Lula ressalta protagonismo de Wilma na política do RN

Do ex-presidente Lula: 
Wilma Maria de Faria foi uma das principais protagonistas da política no Rio Grande do Norte nas últimas décadas e uma pioneira na participação das mulheres nas eleições. Foi prefeita de Natal e governadora do Estado, com seus dois mandatos coincidindo com o período em que fui Presidente da República, uma época em que o Rio Grande do Norte e o Nordeste experimentaram grandes avanços econômicos e sociais. Fomos, na década de 80, deputados constituintes na mesma legislatura.
Minha solidariedade nesse momento triste para todos os seus familiares e amigos

De Márcia Maia sobre a Wilma Mãe

                      

Não há, na face terrena, algo tão onipresente quanto a presença de uma mãe.
Há, inclusive, quem diga que elas são justamente um presente de Deus.
Talvez através dela, Ele nos observe de perto enquanto somos frágeis, indefesos, e nos proteja. E talvez por isso, pelo fato de tê-la sempre ao meu lado, nunca havia imaginado dizer adeus.
Às 23h40 dessa quinta-feira mamãe deixou o nosso convívio para encontrar o seu lugar ao lado de Deus.
Presente nos momentos mais intensos e também nos mais singelos da minha vida, ela sempre trazia consigo uma palavra de sabedoria para oferecer, de luta para entregar e de bom humor para nos fazer sorrir.
Exemplo como mãe, também protagonizou como mulher ao subjugar todo o preconceito da política e provar que não há vitória sem luta -, mas que era possível vencer nesse universo muitas vezes desleal e desigual para nós, mulheres.
Corajosa e apaixonada pelo que fazia, uniu lados, promoveu avanços, revolucionou no estado ao realizar uma política social que defendeu aqueles que mais precisavam.
A lista de feitos enquanto gestora é imensa, mas a lista de conquistas enquanto mãe e mulher são também exemplos que merecem ser exaltados. Posturas, palavras, olhares do dia a dia que ensinavam o melhor caminho a seguir.
Lutou enquanto as forças lhe permitiram, não desistiu. Apenas acolheu o chamado do Pai-Celestial que a convidou definitivamente para seu convívio.
A coragem com qual guiou todos os seus passos em vida é o seu grande legado.
Agradeço a todas as mensagens de conforto, carinho e admiração que temos recebido. Para todo o Rio Grande do Norte, fica a imagem da vitoriosa e guerreira do povo potiguar.
Para mim, o exemplo de mãe e mulher, os quais continuarão firmes em meu coração e como bussolas do meu caminhar, todos os dias, para manter vivo não apenas seu nome, mas principalmente, seu espírito de luta, ousadia, amor e vitória entre todos nós.
Muito obrigada por tudo, minha mãe. Vá em paz.
Te amo eternamente.
Márcia

Wilma cheirava a povo.
De tudo o que a política oferece, era do povo que ela mais gostava.
Além da mãe, Dona Sally, que se foi há 4 anos, era o povo que Wilma consultava antes de tomar decisões.
Era no meio do povo que ela sentia a temperatura de cada eleição; que ela sentia o tamanho do passo que poderia dar.
Era também no meio do povo que ela sentia – apesar de não expressar – a intensidade do seu erro.
Porque a política que muito acertou, também teve suas apostas erradas.
E foi no meio do povo que ela sentiu a verdade no coração de quem lhe abraçava já doente, magrinha, com as defesas baixas e proibida pelos médicos de fazer o que ela estava fazendo.
O abraço do povo era um bálsamo.
Um remédio que a medicina ainda não conseguiu produzir.

A Guerreira era inconfundível.
Como será incomparável.

Ninguém na política do Rio Grande do Norte terá em seu currículo, 3 mandatos de prefeito de Natal mais dois de governador, mais um de deputado federal Constituinte, um de vice-prefeito da capital e uma vitória de vereador.

Ninguém na história política do Rio Grande do Norte tem nem terá o título de Guerreira por ter sido a guerreira que ela sempre foi.

Wilma fechou um ciclo num momento em que a política também fecha o seu ciclo.
Os dias de hoje, como a gente costuma se referir ao atual momento, não permitem mais tamanha ousadia.
Ninguém mais chegará ao que Wilma chegou.
Ela foi única e nesse quesito, de carisma, poder, interação com o povo e tamanho de currículo, ninguém a substituirá.

No dia de sua despedida, era cedo quando o vendedor de milho da Praça 7 de Setembro se aproximava do Palácio da Cultura, com lágrimas nos olhos, querendo saber a hora que o corpo, que até aquele momento seria velado ali, chegaria.

Pioneirismo foi uma das marcas de Wilma de Faria, diz Garibaldi

     


Nota de pesar pelo falecimento da ex-governadora Wilma de Faria:
O pioneirismo foi uma das marcas de Wilma de Faria. Primeira prefeita eleita de Natal e primeira governadora do Rio Grande do Norte, ela também foi a primeira deputada federal a representar o estado na Câmara dos Deputados. Eu e Wilma nem sempre dividimos o mesmo palanque. Porém, apesar das eventuais divergências políticas em determinados momentos, tive a satisfação de desfrutar de sua amizade nos últimos anos. Ela era uma mulher forte, obstinada e carismática. A notícia de sua morte entristece o Rio Grande do Norte. Peço a Deus conforto para sua família nesse momento de dor.
Senador Garibaldi Filho

Robinson diz que faz parte de geração política que aprendeu muito com Wilma

               
                            

O governador Robinson Faria também emitiu nota de pesar pela morte da ex-governadora Wilma Maria de Faria. Na nota, Robinson disse que faz parte de uma geração de políticos que muito aprendeu com ela, a partir da sua coragem, da inteligência emocional para tomar decisões importantes.
Confira a nota na íntegra:
Com profundo sentimento venho me somar aos familiares, amigos e admiradores da vereadora e ex-governadora Wilma de Faria, falecida hoje, nesse momento de perda irreparável. Dona Wilma, como carinhosamente passou a ser chamada pelo povo do Rio Grande do Norte, deixará enorme lacuna na vida pública do nosso estado.
Sou parte de uma geração de políticos que muito aprendeu com ela, a partir da sua coragem, da inteligência emocional para tomar decisões importantes, da sua abnegação por servir ao povo e do espírito público exemplar. O político britânico Thomas Paine, um dos fundadores da Democracia americana, dizia que admirava aqueles que conseguem sorrir com os problemas, reunir forças na angústia e ganhar coragem na reflexão. 
Insiro o perfil de Dona Wilma na declaração de Paine; ela foi exatamente isso em vida, uma figura destemida, cerebral e com capacidade de superar problemas, que fossem políticos ou pessoais.  Em ninguém coube melhor o apelido de guerreira.Tínhamos nossas diferenças, coisa normal na atividade política, mas também dividimos grandes momentos de parceria e aliança, de onde nasceu uma boa amizade e uma admiração mútua.  Sua morte provoca um vazio na vida política e social do Rio Grande do Norte. 
Que Deus conforte a todos e a receba em sua eterna misericórdia!
Robinson Faria
Governador do Rio Grande do Norte

Wilma foi uma das principais forças políticas do RN

                       

A professora Wilma de Faria é, sem dúvida, uma das principais forças políticas da história recente do Rio Grande do Norte. Foi deputada constituinte, três vezes prefeita da capital e duas vezes governadora. Goste-se ou não, é impossível pensar ou fazer política no Estado sem levar em conta seus movimentos.
Wilma tinha a capacidade de mudar a disposição do jogo a seu favor quando as condições pareciam desfavoráveis. Sua determinação em enfrentar os “poderosos” rendeu-lhe a alcunha de “guerreira”.
História de Wilma
Wilma Maria de Faria nasceu sob a égide de uma família marcada por uma forte liderança política conservadora chamada Dinarte Mariz, primo legítimo de Morton Mariz, pai de Wilma de Faria. Nascida em Mossoró, viveu algum tempo em Caicó antes de transferir-se para Natal, onde construiria toda a sua carreira política.
Foi inicialmente uma mulher preparada para casar, ser dona de casa e ter filhos. E cumpriu seu desenho. Casou com um homem bem sucedido, um médico, Lavoisier Maia, primo de Tarcísio Maia. Após criar os filhos, decidiu que deveria voltar a estudar, formando-se em educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e onde posteriormente defenderia um mestrado.
 Tive com ela momentos de alegrias e confraternização,convergência na política, alem de  laços de amizade que cultivamos até o fim.
Ela vai deixar saudades. Que Deus a receba e guarde.descanse em paz-'------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Setor têxtil cresce e movimenta quase R$ 4,7 bilhões no RN

                        

Uma das principais bases econômicas do Rio Grande do Norte, os setores têxtil e de confecções evoluíram nos últimos cinco anos e a produção atingiu em 2015 o ápice de 89 mil toneladas. Isso representa um volume de R$ 4,7 bilhões que são negociados a cada ano. Essa cadeia produtiva agrega 574 empresas, que empregam 46 mil pessoas, sendo a maioria – 39 mil – absorvida por aquelas de porte industrial.