Pages

sexta-feira, 9 de abril de 2021

Na pandemia, farmacêuticas vendem remédio com sobrepreço de até 2.500%

 


1588037574867 Na pandemia, farmacêuticas vendem remédio com sobrepreço de até 2.500%

Em meio à grave crise econômica e sanitária causada pela pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2), empresas farmacêuticas têm comercializado medicamentos com preços muito acima do limite estabelecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Força-tarefa da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) específica para atuar durante a pandemia de Covid-19 aplicou, entre julho de 2020 e março de 2021, 64 multas a agentes do setor farmacêutico que descumpriram as regras de preço.

Comum na maioria dos países, a regulação do mercado de medicamentos no Brasil é feita pela CMED. A Anvisa estabelece um teto de preços para as empresas farmacêuticas de acordo com as paridades nacional e internacional. A partir desse limite, a agência pode aplicar uma multa, que varia de acordo com o tamanho da oferta, por exemplo.

Planilha enviada pela Anvisa ao Metrópoles mostra a atuação da CMED. O sobrepreço constatado chega a 2.500%. Parte desses medicamentos, inclusive, é usada no tratamento do coronavírus, como sedativos e bloqueadores musculares para intubação.

A maior variação no valor de um remédio foi registrada pela Farmater Medicamentos, com sede em Belo Horizonte, em Minas Gerais. A empresa comercializou sulfato de neomicina/bacitracina, usado no tratamento de infecções na pele, a R$ 198 – apesar de o teto estabelecido pela Anvisa para a venda dessa medicação ser R$ 7,62. Ou seja, houve uma oscilação de R$ 2.498,43%.

A empresa foi multada em R$ 38,1 mil, após ter sido autuada em novembro do ano passado. No total, 26 medicamentos foram encontrados pela Câmara de Regulação com valores superiores ao limite legal.

Morre príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, aos 99 anos

 


rainha viuva Morre príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, aos 99 anos

príncipe Philip, de 99 anos, faleceu nesta sexta-feira (9/4), segundo informou o Palácio de Buckingham. Ele completaria 100 em 21 de junho deste ano.

A causa da morte ainda não foi revelada.

No Twitter e no site oficial da família real, uma comunicado foi publicado sobre o acontecimento. “É com profunda tristeza que Sua Majestade a Rainha anunciou a morte de seu amado marido, Sua Alteza Real, o Príncipe Philip, Duque de Edimburgo. Sua Alteza Real faleceu pacificamente esta manhã no Castelo de Windsor”.

Covid-19: Arquidiocese de Natal promove campanha solidária de arrecadação de alimentos

 


fdbhj Covid-19: Arquidiocese de Natal promove campanha solidária de arrecadação de alimentos

A Arquidiocese de Natal está promovendo a campanha solidária “Fraternidade: compromisso de amor”, que traz o lema “É tempo de cuidar”. O objetivo é arrecadar alimentos para serem doados a famílias em situação de vulnerabilidade social.

A ação é um gesto concreto da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021 e vai durar enquanto for necessário, tendo em vista o agravamento da situação de pobreza, devido à pandemia da Covid-19.

Os interessados podem realizar a doação de cestas básicas, entregando-as na secretaria das paróquias da Arquidiocese de Natal, na capital e no interior. Também é possível contribuir por meio de transferência bancária.

O lema “É tempo de cuidar” está em sintonia com uma campanha solidária emergencial, que foi lançada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), no ano passado, para ajudar a enfrentar a pandemia do novo coronavírus.

Quem desejar, pode depositar a doação na seguinte conta bancária:

Caixa Econômica Federal

Agência 0035

Operação 013

Conta 237874-7

Titular: Arquidiocese de Natal

CNPJ: 08.026.122/0001-69

PIX: solidaria@arquidiocesedenatal.org.br

Final de semana deve ser chuvoso em Natal e no interior; veja previsão

 


sthtrj Final de semana deve ser chuvoso em Natal e no interior; veja previsão

Com precipitações registradas nos últimos dias, o final de semana também deve ser de chuva na capital potiguar. É o que aponta o portal metereológico Clima Tempo, que prevê precipitação maior no sábado, com o domingo podendo registrar chuvas rápidas.

De acordo com a previsão, o sábado deve ter sol com muitas nuvens durante o dia intercalado com períodos de nublado e chuva a qualquer hora. A mínima deve ser de 24 e máxima de 30 graus, com 80% de chance do registro de chuvas, que não deve superar os 15 mm na capital potiguar.

Já no domingo, as chuvas devem ser mais rápidas e o sol deve dividir o céu com nuvens durante todo o dia. Há 60% de chances do registro de precipitações e a temperatura deve ser de 24 a 31 graus.

Interior

Não é exclusividade da capital potiguar o registro de chuvas no final de semana. Em Mossoró, no Oeste do RN, deve fazer sol com aumento de nuvens durante o dia e pancadas de chuva durante tarde e noite. A temperatura deve variar entre 24 e 36 graus.

No Seridó, apesar de não registrar chuvas nesta sexta-feira, o final de semana também deve ter água caindo do céu na quente Caicó. Os termômetros marcam entre 24 e 37 graus e a possibilidade de chuvas durante a tarde e noite é de 90%.

Nem a turística Pipa, em Tibau do Sul, deve ter dias ensolarados. A temperatura deve variar entre 24 e 30 graus com chances de chuva de 90%.

Paulo Guedes chama Rogério Marinho de “pica Pau”. Clima pesado

 Da VEJA:

O climão entre os ministros Paulo Guedes  (Economia) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) continua difícil e não reservas mais para ninguém.

O último desabafo ocorreu no Palácio do Planalto ao próprio presidente Jair Bolsonaro, quando Guedes teria dito:

Esse Marinho continua querendo afundar o barco.

A arca de Noé f…. Tem sempre um pica-pau a bordo para ferrar o negócio todo. 

O estresse de Guedes tem nome; orçamento.

Para ele, Marinho articulou com o Congresso inflar as emendas da sua pasta de olho nas eleições de 2022:

Ele combinou com o relator para furar o teto. 

O que Guedes não sabe – e nem a revista registra – é se Marinho contou com o aval do chefe para adaptar o Orçamento às necessidades do momento. Para o Congresso e para o Palácio do Planalto.

paulo na veja Paulo Guedes chama Rogério Marinho de "pica Pau". Clima pesado

Convocados do Programa Mais Médicos devem se apresentar na SMS Natal até 22 de abril

 9/04/2021 17h30

Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira (12) o Ministério da Saúde divulga a chamada do 23º ciclo nacional do Programa Mais Médicos, tendo 14 profissionais habilitados para exercer a profissão em Natal. O resultado vai estar disponível em maismedicos.gov.br , na aba de editais. Os convocados devem comparecer ao Núcleo de Administração e Salários da Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS/Natal) até quinta-feira, 22 de abril de 2021 (exceto às sexta-feiras), portando documentação necessária para homologação da inscrição na pasta. O prédio está situado na R. Fabrício Pedroza, 915, no bairro de Areia Preta, com funcionamento do setor responsável no pavimento térreo, sala 01, das 08h às 14h.

No ato de apresentação, os médicos devem trazer cópias e versão original dos seguintes documentos, conforme edital publicado no Diário Oficial da União:

CPF;

RG;

01 foto 3×4;

Comprovante de residência;

Certidão negativa de antecedentes criminais;

Certidão negativa do conselho regional de medicina;

02 cópias do termo de adesão;

Diploma de graduação autenticado;

Carteira de trabalho com nº do PIS/PASEP;

Carteira profissional – CRM autenticada;

Quitação eleitoral;

Cópia do cartão do Banco do Brasil.

Para mais informações, é possível entrar em contato com o Núcleo de Administração e Salários da SMS/Natal através do telefone (84) 3232-8514 ou ainda pelo e-mail (maismedicosnatal@gmail.com).

CAMPANHA DE PREVENÇÃO À COVID-19 - ABRIL 2021

Governador Dória responde a Bolsonaro e sugere vacina ‘anti-rabica’ ao presidente da república

 A briga com Bolsonaro…é baixa.

O governador de São Paulo, João Dória, se mostra mais elegante.

Chamado de ‘vagabundo’, com um ‘caralho’ seguindo como interjeição, João Dória disse nas redes sociais que o instituto Butantan pode vacinar o presidente da República com uma dose de anti-rábica.

Plano Biden expõe atraso do Brasil e aumenta risco de isolamento, explica José Paulo Kupfer

 Fiscalismo começa a sair de moda

Investimento público é a nova mola

Brasil: economia em obsolescência

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e seu plano de investimentos do governo representam uma virada sem precedentes nos últimos 30 anosGage Skidmore (via Flickr)


09.abr.2021 (sexta-feira) - 5h50

Aum custo que pode superar US$ 5 trilhões, o equivalente a 25% do PIB americano e quase 4 vezes o PIB brasileiro, o presidente americano Joe Biden está dando início a uma virada sem precedentes, nos últimos 30 anos, na forma de conduzir a economia. Mais até do que os vultosos montantes de recursos envolvidos, os planos de Biden para enfrentar a pandemia e reerguer a economia dos Estados Unidos configuram uma reação radical em relação às políticas econômicas dominantes no mundo ocidental.

Não se tinha notícia de nada semelhante desde Ronald Reagan, a partir de sua eleição à presidência dos Estados Unidos, em 1980. Associado, na Europa, à primeira-ministra britânica Margaret Thatcher, Reagan liderou uma revolução liberal na política econômica. Em resposta a um período de estagnação econômica e pressões inflacionárias, o ex-ator de Hollywood cortou impostos, executou vasta desregulamentação de mercados e abriu espaços ao setor privado, promovendo o encolhimento do Estado.

Com seu programa de resgate de US$ 1,9 trilhão, já aprovado no Congresso, e o plano de emprego, de US$ 2,2 trilhões em obras de infraestrutura e modernização econômica, ainda em discussão, Biden chega como um contraponto ao Reaganomics e seu legado. O Bidenomics retoma as bases desenvolvimentistas pregadas por John Maynard Keynes, tido como o maior economista do século 20, para a superação da Grande Depressão dos anos 30 do século passado.

Agora, é o gasto público, com o Estado na linha de frente dos investimentos, a mola propulsora da retomada e da expansão econômica. Mas não só essa característica diferencia os dois polos de política econômica. De acordo com os planos de Biden, parte do financiamento desses investimentos virá do aumento de impostos dos mais ricos e das corporações.

Visando a reformar e ampliar a rede de infraestrutura produtiva do país, os programas econômicos do novo governo americano dão prioridade à economia verde e à digital, com especial atenção para áreas como a construção civil acessível e o segmento de veículos elétricos. Há uma não dissimulada preocupação em recuperar a capacidade de competir com os chineses e nem mesmo o fortalecimento dos sindicatos de trabalhadores foi esquecido.

Por tudo o que representa, o Bidenomics em construção significa uma pá de cal nas políticas econômicas inspiradas na teoria da contração expansionista. Essa ideia floresceu na esteira da grande crise global de 2008, consistindo num roteiro virtuoso, que se estabeleceria a partir da perseguição do equilíbrio fiscal.

Cortes em gastos públicos e austeridade fiscal promoveriam a retomada da confiança de empresários e investidores na recuperação da atividade econômica, levando-os a investir. A geração de empregos e de renda, a partir do investimento, desaguaria na expansão da economia. Décadas de baixo crescimento, ainda que com taxas de juros até mesmo negativas, contudo, minaram as convicções no valor e na eficácia da contração expansionista.

É de se prever que o poder global de liderança da economia americana, em prazo relativamente curto, comece a produzir replicações mundo afora dos programas de reerguimento econômico que serão experimentados nos Estados Unidos. É lícito também vislumbrar uma nova fase em que o bem-estar social e a redução de desigualdades ocupariam lugar mais destacado nas preocupações dos formuladores de políticas econômicas.

Não seria de imediato que as novidades do Bidenomics poderiam chegar ao Brasil. Com o atraso característico, as políticas econômicas inspiradas na contração expansionista ainda são dominantes. Essas ideias aqui chegaram, quando já eram relativizadas nas outras paragens, ao atravessar a “ponte para o futuro” com a qual Michel Temer pegou o atalho que o levou à presidência.

Sob regras de controle fiscal tão rígidas quanto inexequíveis, das quais o teto de gastos é a expressão mais acabada, e às voltas com um sistema tributário que taxa mais quem pode contribuir menos, reduzindo a capacidade arrecadatória do governo, o país continuará acorrentado ao passado. Sem uma revisão geral do arcabouço que garante o predomínio de uma obsoleta visão fiscalista, o Brasil permanecerá isolado do mundo. Como já está e cada vez mais fica.

CONTINUAR LENDO

Política Doria pede ‘calma’ a Bolsonaro e diz que vai vaciná-lo com antirrábica

 O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), respondeu aos xingamentos feitos pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante jantar com empresários na quarta (7) e revelados pela Folha.

Segundo relatos de pessoas que foram ao evento, o presidente afirmou em discurso para convidados que “o governador de vocês é um vagabundo, caralho”.

“Calma, @jairbolsonaro. Além da Coronavac, o Butantan é especialista na anti-rábica [sic]. Fique tranquilo, vou te vacinar”, escreveu o governador paulista nas redes sociais nesta quinta (8).

Durante o jantar, Bolsonaro também se referiu a Doria nos seguintes termos, sempre segundo relatos: “O vizinho aqui de vocês é um vagabundo”.

A casa do governador fica no Jardim Europa, o bairro mais nobre de São Paulo, no sentido da alta renda de seus moradores. A residência de Cinel fica no vizinho Jardim América. Uma boa parte dos convidados para o jantar mora na mesma região.

Com informações da Folha

GRANDE PONTO